top of page
Buscar

Cachorro nadando - benefícios e cuidados com o pet na água

Os cães são alegres por natureza. E quando eles percebem que vão passear então, é uma animação sem fim. Seja para caminhar, correr, brincar e até mesmo nadar. O que vale é gastar esta energia que eles têm de sobra. Para a maioria dos cachorros, a água é que nem pirulito para criança, uma alegria que contagia. Ainda mais em dias de sol, nada supera uma atividade refrescante. 





Além de refrescar, a natação pode fazer maravilhas para a saúde geral do seu companheiro canino: 


BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE FÍSICA:


A água ajuda o sistema respiratório, tonifica e fortalece os músculos, aumenta o metabolismo, melhora a circulação e ajuda a manter a pele e o pêlo saudáveis.  

Quando submerso, a água sustenta o corpo e alivia o sistema esquelético do cão, ou seja, a natação é um exercício de baixo impacto que não coloca pressão nas articulações e tendões. Desta forma, é uma ótima indicação para diversos casos, como cães idosos, obesos, com distúrbios articulares, ou até mesmo filhotes que estão se recuperando de uma lesão ortopédica ou neurológica. 


BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE MENTAL:


Assim como os seres humanos, variar nas atividades dos amigos peludos também faz bem para suas mentes. A natação alivia a ansiedade, o estresse e consequentemente isso o torna mais sociável com as pessoas e os doguinhos que o cercam.   

O desafio de aprender a nadar pode deixar seu cão mais confiante e independente.   

Ao gastar todas as suas energias após um treino completo, também pode desfrutar dos benefícios restauradores de uma boa noite de sono.





Agora é claro que para garantir a diversão do seu leal amigo enquanto nada, alguns cuidados são essenciais:


  • Acima de tudo, higiene adequada e vacinação e vermifugação em dia. Não só para  nadar e evitar a transmissão de doenças, mas pela vida do seu cachorro.

  • Apesar de alguns cães terem o instinto de nadar desde o nascimento, o ideal é esperar a fase de crescimento para que tenha a força necessária.  

  • Não o force a entrar na água. Ele tem que associar a experiência como algo bom, por isso aproveite o momento para fazer carinho, elogiar, brincar com bolinha, oferecer recompensas e deixe-o se acostumar com a idéia no seu ritmo.  Pode começar com uma pequena quantidade de água, em uma bacia por exemplo, depois para uma piscina infantil e gradativamente aumentar a profundidade até que ele adquira mais confiança. Sempre observando como ele reage e respeitando seus limites.      

  • Ao contrário do que muitos pensam, o cão não nasce sabendo nadar, por isso esteja sempre por perto, principalmente no começo em que ele ainda é inexperiente. 

  • Se for em uma piscina, é preciso atenção em relação a quantidade de cloro para evitar uma intoxicação. 

  • Hidrate-o bem antes para evitar que seu cão beba a água salgada ou cloro. 

  • Dê um banho antes para que não suje a piscina e depois para cuidar da pele e dos pêlos e evitar que a proliferação de fungos e bactérias ou irritações cutâneas.    

  • Atenção especial com os ouvidos. O uso de algodão hidrofóbico ajuda a prevenir otites.   

  • Se a vontade for de colocar seu animalzinho na natação, é imprescindível passar por uma avaliação veterinária para saber se ele está apto. 

  • O tempo da atividade varia de acordo com a aptidão física e raça e depende de recomendações veterinárias. De qualquer forma observe os sinais de cansaço que ele pode apresentar, até chegar a duração ideal.   


E a dica de ouro, mergulhar com seu cãozinho, pode ser uma ótima maneira refrescante de fortalecer o vínculo de amor entre vocês.

14 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page